Cadeia produtiva do leite se consolida no Sertão Central

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Até a década de 1980, a principal atividade econômica  da macrorregião do Sertão Central era a produção de algodão com finalidade de exportação. A partir de 1983, no entanto, a cultura foi interrompida pela praga do bicudo-do-algodoeiro em municípios da macrorregião a pecuária tornou-se a principal atividade local. O município de Quixeramobim, segunda maior cidade do Sertão Central, se destaca atualmente como a maior bacia leiteira do Estado do Ceará. 

Quixeramobim produz em média 200 mil litros diários de leite. O município conta com mais de 90 mil cabeças (entre bezerros, garrotas, novilhas, vacas secas e vacas em lactação). A produção garante emprego e renda para a população envolvida direta ou indiretamente na atividade.

A pecuária de leite no Ceará conseguiu acumular crescimento de quase 63% na produção entre os anos 2015 e 2019, passando de 489,3 milhões para 797,4 milhões de litros por ano, segundo dados divulgados pelo IBGE. 

Também na macrorregião do Sertão Central, o município de Milhã é reconhecido por ser destaque no incentivo e na produção leiteira, sendo a pecuária a principal fonte de renda do município, com produção de 120 mil litros de leite por dia. A participação dos pequenos produtores nesse resultado é de quase 30%, de acordo com dados da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA).

O sistema de produção do leite no Ceará é considerado bastante diversificado. Do total de estabelecimentos que produzem leite no Ceará, 43% são classificados como de agricultura familiar e 74% apresentam um rebanho composto por até 19 cabeças de bovinos, sendo que estes respondem por cerca de 30% da quantidade produzida de leite in natura. 

As propriedades produtoras de leite, em sua grande maioria, possuem um tamanho de até 500 hectares, caracterizando-as como mini e pequenas propriedades. Destas, cerca de 78% produzem até 100 litros de leite por dia.

A agricultura familiar ainda se baseia na subsistência, concentrando sua produção principalmente em milho e feijão. Entretanto, a diversificação de culturas é significativa, sendo possível encontrar áreas com produção de hortaliças, fruteiras, pequenos animais como ovinos e caprinos e aves diversas, além da apicultura (criação de abelhas).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.