O Vale do Jaguaribe e a vocação agrícola

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O Vale do Jaguaribe é uma das quatro macrorregiões cearenses com maior participação no PIB do Estado, alcançando o valor superior a 5 milhões em 2019.  Trata-se de uma fértil região localizada a leste do estado do Ceará, cortada pelo Rio Jaguaribe, o maior e mais importante rio cearense, que fornece água para os cultivos que são realizados em seu leito. 

A potencialidade agrícola do Vale do Jaguaribe se evidencia por meio da participação da atividade na economia de seus municípios. Limoeiro do Norte, por exemplo, registrou a participação de 3,4% sobre o valor total da agropecuária cearense e ocupa o terceiro lugar do ranking, atrás apenas de Beberibe, no Litoral Leste, e Tianguá, na Serra da Ibiapaba.

A Região do Vale do Jaguaribe participou com 11,58% em 2019 do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) da agropecuária do Ceará, de acordo com levantamento feito pelo IBGE em 2019. A macrorregião destaca-se na produção de frutas e por ser a principal bacia leiteira do Ceará. A macrorregião participou, em 2019, com 3,51% no PIB estadual.

O Governo do Ceará tem, desde os anos 1990, destinando recursos financeiros e políticas públicas para impulsionar a territorialização do agronegócio na região, atraindo empresas agrícolas nacionais e multinacionais e reconfigurando os usos da terra e do território por todo o Vale do Jaguaribe, mediante instalação e expansão de grandes firmas do agronegócio que atuam ou atuavam na produção e exportação de frutas, com destaque para banana, melão, melancia, mamão, abacaxi e manga, voltadas para os mercados nacional e internacional (principalmente europeu). 

De acordo com dados de 2015 do Ministério do Desenvolvimento Agrário, a macrorregião conta com 24.606 assentamentos de agricultura familiar, com uma alta concentração no município de Russas.

A expansão do agronegócio na região ocorreu de forma mais intensa na Chapada do Apodi, que além de abrigar o perímetro irrigado Jaguaribe-Apodi, passou a contar com a presença das poderosas corporações especializadas na produção e exportação de frutas. Atualmente se observa uma grande concentração hídrica e fundiária nessa porção do Vale do Jaguaribe, considerada como destaque para o agronegócio da fruticultura no Ceará.

Vale destacar que Pereiro, um dos municípios que compõem a macrorregião, o avanço dos serviços de informação levou a cidade a ter o oitavo maior PIB per capita (riqueza por pessoa) do Ceará em 2019, com R$ 22,7 mil. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.