Setores produtivos do Maciço de Baturité participam do Move Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O Move Ceará chegou ao Maciço de Baturité na última quinta-feira, 24, para ouvir as demandas dos diversos setores produtivos do Estado e elaborar ações de curto e médio prazo para o desenvolvimento regional. O encontro aconteceu no campus do IFCE do município de Baturité e reuniu representações de quatro setores produtivos: Educação, Agronegócio, Agricultura Familiar e Turismo.

Luiza Martins, secretária do Conselho de Altos Estudos da Assembleia Legislativa do Ceará, ressaltou que o Maciço de Baturité é a única entre as 14 macrorregiões do Estado na qual a educação aparece como setor prioritário para o desenvolvimento. A importância do setor foi reforçada ainda pelo diretor geral do campus do IFCE em Baturité, Lourival Soares. “A gente tem vários projetos na área de Turismo e Agronegócio em desenvolvimento e a educação vem justamente como esse suporte para a formação de uma mão-de-obra qualificada”. 

O diretor ressaltou ainda o papel fundamental da educação para o desenvolvimento profissional e tecnológico que está se desenhando no Maciço com o processo de efetivação de um parque industrial e tecnológico. De acordo com Lourival,  com a construção do parque e a prospecção de empresas para a região, é ainda mais importante a articulação para criar o Polo Educacional do Maciço de Baturité. 

Representações de diversos setores econômicos expuseram os contextos, potencialidades e desafios enfrentados em cada área. Destacou-se a necessidade de perceber as particularidades de cada cidade que compõe o Maciço de Baturité e maior integração entre os municípios, assim como a importância de investimentos para pesquisas e projetos. 

“O Maciço tem 13 municípios, mas quando se fala em Maciço todo mundo entende de Baturité pra cima. A compreensão do Maciço precisa ser estendida, porque o principal produto agrícola da macrorregião é o caju e seus subprodutos como a castanha, isso nos municípios “de baixo” como Aracoiaba, Barreira e Redenção”, comentou Lucas Luz, diretor do Instituto de Desenvolvimento Rural da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), localizada em Redenção.

Luiza Martins, secretária executiva do Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da AL, explicou que as demandas colhidas serão encaminhadas para os setores responsáveis e podem servir de base para o próprio Legislativo e suas comissões, como forma de contribuir com os projetos, proposições e construção dos planos orçamentários do Estado, por exemplo. 

Fabiana Moreira, articuladora regional do Sebrae no Maciço de Baturité, comentou que o turismo é um setor âncora de desenvolvimento do Maciço de Baturité e, mais especificamente, da região serrana, por meio do turismo de experiência, ecoturismo ou turismo rural. “Temos uma média de 130 equipamentos turísticos e trabalhamos de forma articulada, equipamentos do agronegócio, essa interface do café, da banana, da cana, da produção agroecológica, isso dá um plus ao turismo na região serrana. 

Durante o encontro em Baturité, Mariana Chaves, coordenadora do Move Ceará, destacou que a iniciativa busca movimentar a economia cearense por meio da revisitação de importantes estudos e planos de desenvolvimento econômico do Ceará e da escuta das demandas de setores produtivos prioritários nas 14 macrorregiões do Ceará.

O projeto Move Ceará realizou encontros regionais em Fortaleza, Crato, Sobral, Camocim, Aracati e Baturité. Ainda receberão reuniões do projeto os municípios de Canindé (Sertão de Canindé), Iguatu (Centro-Sul), Itapipoca (Litoral Oeste/Vale do Curu), Tianguá (Serra da Ibiapaba), Quixeramobim (Sertão Central); Crateús (Sertão de Crateús), Tauá (Sertão dos Inhamuns) e Limoeiro do Norte (Vale do Jaguaribe).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.