Move Ceará encontra representantes do Polo Moveleiro de Marco

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A equipe do Move Ceará se reuniu na manhã desta segunda, 21, com representantes do Polo Moveleiro de Marco, na macrorregião Litoral Norte do estado, para ouvir as demandas do setor produtivo do município, que atualmente conta com cerca de 35 empresas que estimulam a economia da região e representam uma referência importante para o Nordeste e o Brasil no setor de movelaria.

A cidade do Marco, distante 220 quilômetros da capital Fortaleza, já é conhecida nacionalmente por abrigar o maior polo moveleiro do Estado. O empresário Frederico Neto, proprietário Kirius Móveis destacou a importância da retomada do evento “Salão de Móveis“, que não acontece desde 2019. “É uma das melhores coisas para alavancar a economia tendo em vista as vendas, trazendo clientes de todo o País pra cá. Uma das grandes demandas que a gente tem hoje com o governo é essa”, pontuou.

“Nesse aspecto da venda, é importante também uma capacitação para essas pessoas sobre vendas, treinamento. A gente tem que ver essas demandas, se é apenas uma questão legislativa ou se tem a parte educativa também”, ressaltou Mariana Chaves, coordenadora do projeto Move Ceará.

Maurício Sousa, analista ambiental e consultor em agronegócio, apresentou a necessidade de atualização da legislação ambiental que regulamentam ações para produção da matéria prima das fábricas moveleiras. “O polo moveleiro tá se reinventando. A Kirius tá investindo em Carnaúba, o grupo Jacaúna investe em Eucalipto. Tá todo mundo se reinventando e essas pautas de legislação ambiental poderiam ser modernizadas, para que a gente tivesse velocidade entre o investimento que a gente quer realizar com safra invernosa e pra que a legislação ande de acordo com os planos de cada empreendedor”, ponderou.

Investimento em silvicultura

Na zona rural dos municípios de Marco e Acaraú, o Grupo Jacaúna tem investido em uma floresta de Eucalipto, árvores própria para a indústria de móveis e da construção civil. Atualmente, o Grupo mantém a plantação de clones de eucalipto em 1 mil hectares de terras, 600 hectares dos quais já possui árvores em idade juvenil. “Temos mais de 1 plantados e estamos plantando em uma nova área de 400 hectares. Em 10 anos a gente espera já ter essa autossuficiência de matéria prima“, informou Rogério Aguiar, proprietário do Grupo Jacaúna. Concorrentes Osterno Móveis, DuMarco, Kirios, Santa Maria e Madresilva também mantém seus projetos florestais no município.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.